ROAMER – sempre incentivando a pesquisa em saúde mental

Professor Josep Maria Haro
Josep Maria Haro
Fullscreen
Professor Josep Maria Haro
Josep Maria Haro

O projeto ROAMER (Roadmap for Mental Health Research in Europe - Roteiro para Pesquisa em Saúde Mental na Europa) representou um avanço importante, quando seus resultados foram publicados pela primeira vez, em 2015. Finalmente, os principais atores envolvidos chegavam a um acordo quanto a uma estratégia unificada de pesquisa em saúde mental. Agora só falta o ROAMER ser a política seguida pelas várias agências responsáveis pelo financiamento para pesquisa.

A doença mental é hoje o que o câncer foi nos anos 1950

Durante um simpósio da EPA de 2018, intitulado “Prioridades para a pesquisa em saúde mental na Europa”, o coordenador do projeto ROAMER, Professor Josep Maria Haro, de Barcelona, Espanha, comparou a atual situação da saúde mental ao câncer dos anos 1950. Naquela época, o câncer também era uma doença estigmatizada, sem terapia eficaz. Entretanto, os movimentos sociais pressionaram por mudanças e hoje há boas fontes de financiamento para a pesquisa do câncer e os pacientes diagnosticados com a doença são bem assistidos. “Temos que fazer pressão junto aos legisladores, para que o mesmo aconteça  com a saúde mental,” declarou o professor Haro.

Nos anos 1950, o câncer também era uma doença estigmatizada e sem terapia eficaz, mas a sociedade pressionou e a mudança aconteceu.

Relação custo-benefício

Os responsáveis pelo ROAMER têm conseguido demonstrar as vantagens de se financiar projetos em saúde mental. Segundo o Professor Dame Til Wykes, é possível atrair a atenção dos Ministros de Economia e Finanças sublinhando que para cada £1 gasto com pesquisa em saúde mental, há 37 centavos de libra de retorno, sob forma de aumento de produtividade/ano. “Após 3 anos, começamos a ter um lucro de fato - é um retorno sobre o investimento de 37%, por prazo ilimitado”, ela disse.

Para cada £1 gasto com pesquisa em saúde mental, há um retorno de 37 centavos, por prazo ilimitado

O ROAMER foi aceito e está sendo executado atualmente pelo governo Britânico como a estrutura básica para a pesquisa em saúde mental no Reino Unido. E continuará sendo assim pelos próximos 5 anos. Entretanto, como lembrou o Prof. Wykes, será importante ter sempre em mente os benefícios para os pacientes - e não pensar apenas na redução do custo com a carga de doenças mentais.

Diferentes perspectivas sobre o que é intervenção eficaz em saúde mental

Pacientes e cuidadores divergem dos psiquiatras quando se trata de definir o que constitui uma intervenção de saúde mental ‘eficaz’ ou um desfecho desejável - relatou o Prof. Antonio Fiorillo, da Itália. Com o intuito de obter maiores informações e o apoio dos principais atores no que tange os desfechos de pesquisa ideais, o ROAMER investigou suas opiniões de duas formas distintas.

A primeira foi através de uma série de 3 reuniões com 26 associações profissionais européias. O objetivo era identificar qual a melhor maneira de abordar cada uma das partes interessadas, identificando pontos fracos, avanços e prioridades das pesquisas existentes para, por fim, definir os rumos das pesquisas futuras.

A segunda forma foi através de um questionário indagando sobre as prioridades e o atual nível de desenvolvimento da pesquisa em saúde mental na Europa. Contribuíram 108 associações, de 27 países da UE, enviando as opiniões de psiquiatras, profissionais de saúde mental, pacientes/cuidadores e residentes de psiquiatria.

Necessidade de consenso entre as partes interessadas

Não foi surpresa constatar que diferentes grupos tinham diferentes prioridades para pesquisa. Os clínicos priorizaram a pesquisa de novos medicamentos; pacientes e cuidadores mostraram-se mais interessados em novas terapias psicológicas. No entanto, todos os grupos concordaram que a maior parte das pesquisas já realizadas haviam focado a apresentação clínica dos transtornos mentais, a prevenção do suicídio, o desenvolvimento de novos medicamentos e a detecção precoce da doença mental.

A conclusão deste questionário foi que as iniciativas de pesquisa futuras precisarão se dedicar também aos estudos psicossociais e aos serviços de saúde, áreas consideradas prioritárias por todos os grupos estudados. Porém, para que isso ocorra, será necessário envolver pacientes e cuidadores em todas as fases do processo de pesquisa.

As iniciativas de pesquisa futuras precisam se dedicar também aos estudos psicossociais e aos serviços de saúde

Situação atual da psicologia

Dada a ênfase crescente na necessidade de intervenções psicossociais para o tratamento da doença mental, o Prof. Hans-Ulrich Wittchen, de Dresden, Alemanha, nos brindou com um panorama da situação atual e das abordagens e tratamentos psicológicos do grupo de trabalho ROAMER.

Formaram-se várias forças-tarefa com o objetivo de investigar as diversas áreas que ainda precisam ser tratadas pela pesquisa psicossocial. As principais conclusões foram que:

  • É preciso aprimorar a pesquisa básica sobre os mecanismos subjacentes da doença, mediante uma abordagem integrada
  • É necessário aprofundar o estudo sobre como os fatores psicológicos afetam o comportamento relacionado à saúde
  • É necessário compreender melhor a evolução da doença mental ao longo da vida de um indivíduo, de modo a identificar pontos críticos dessa trajetória, possibilitando, assim, intervenções precoces
  • É preciso investigar mais a fundo o papel de moderadores e de mediadores na psicoterapia, para entender melhor como as intervenções do tipo terapia cognitivo-comportamental (TCC) funcionam.

O ROAMER facilitará a tradução de psicologia básica e aplicada, em terapias eficazes

O Prof. Wittchen acredita que o ROAMER facilitará a elaboração de uma plataforma Européia, onde será possível transformar psicologia básica e aplicada, em terapias eficazes.

Para maiores informações:

  • www.roamer-mh-org/
  • Wykes T et al.  Lancet Psychiatry 2015; 2: 1036-42.
  • Wittchen H et al. Int J Methods Psychiatr Res 2014; 23 (Suppl 1) 1-4.

 

Country selection
We are registering that you are located in Brazil - if that's correct then please continue to Progress in Mind Brazil
You are leaving Progress in Mind
Olá,
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação de cadastro para seu e-mail
Antes de ter o acesso completo, por favor, acesse seu e-mail e confirme seu cadastro
The information on this site is exclusively intented for health care professionals.
All the information included in the Website is related to products of the local market and, therefore, directed to health professionals legally authorized to prescribe or dispense medications with professional practice. The technical information of the drugs is provided merely informative, being the responsibility of the professionals authorized to prescribe drugs and decide, in each concrete case, the most appropriate treatment to the needs of the patient.
Congress
Register for access to Progress in Mind in your country