Comunicação eficaz com pacientes e seus familiares

A comunicação com os pacientes é uma necessidade ética fundamental no tratamento de transtornos psiquiátricos. Os aspectos da comunicação eficaz e sua ética foram discutidos pelo Dr. Bernardo Carpiniello, Itália.

A Associação Europeia de Psiquiatria (EPA) publicou recentemente um documento de orientação sobre os aspectos éticos da comunicação com pacientes e suas famílias.1 Este artigo também foi endossado pela EUFAMI (European Federation of Association of Families of people with Mental Illness - Federação Europeia da Associação de Famílias de Pessoas com Doenças Mentais) e pela GAMIAN (Global Alliance of Mental Illness Advocacy Networks - Aliança Global de Redes de Defesa de Doenças Mentais).

Diferentes áreas de comunicação

A comunicação desempenha um papel fundamental no estabelecimento de uma relação terapêutica com o paciente, seus familiares e cuidadores. Também pode ser considerada uma ferramenta terapêutica em si, uma vez que uma boa comunicação está associada aos melhores resultados para o paciente. Portanto, constitui um aspecto fundamental do atendimento para pacientes em contextos de cuidados da saúde mental.

O Dr. Carpiniello discutiu a ética da comunicação acerca de diferentes aspectos dos transtornos psiquiátricos:

  • diagnóstico
  • risco da doença ou estágios prodrômicos
  • opções de tratamento
  • tratamento involuntário

Diagnóstico e status de risco

Adote uma abordagem conduzida pelo paciente para fornecer informações

A comunicação sobre um diagnóstico ou uma doença prodrômica para um transtorno mental grave pode ser extremamente desafiadora, em especial porque o transtorno provavelmente possui um estigma associado a ele e pode ter um prognóstico ruim.2,3 Portanto, os médicos precisarão adotar uma abordagem conduzida pelo paciente:

  • O que os pacientes desejam e não desejam saber?
  • Os pacientes desejam que a família e os cuidadores tenham essas informações?
  • Qual é o equilíbrio entre as vantagens e as desvantagens em saber sobre doenças prodrômicas ou seu status de risco?

Tratamento – voluntário e involuntário

O consentimento informado deve ser a principal consideração

Ao comunicar sobre as opções de tratamento, o consentimento informado deve ser a consideração chave; e o paciente precisa ser competente para fornecer seu consentimento.4 Os pacientes precisam saber sobre a natureza dos tratamentos, seus riscos e benefícios, o tempo necessário para a eficácia e sua duração. Em geral, as famílias e os cuidadores também serão informados, a menos que isso seja expressamente proibido pelo paciente.

A boa comunicação é um requisito ético básico no manejo de pacientes com transtornos mentais

Ao exigir tratamento involuntário, os psiquiatras são obrigados a usar de grande sensibilidade, equilibrando os riscos e benefícios de tal etapa e respeitando a capacidade de tomada de decisão do paciente tanto quanto possível. A comunicação dos motivos para o uso de tal intervenção, os direitos legais do paciente e as análises regulares do tratamento têm como objetivo a obtenção de consentimento informado e a interrupção do tratamento involuntário em tempo hábil.

Em suma, o Dr. Carpiniello nos lembrou que a boa comunicação é um requisito ético básico no manejo de pacientes com transtornos mentais.

Our correspondent’s highlights from the symposium are meant as a fair representation of the scientific content presented. The views and opinions expressed on this page do not necessarily reflect those of Lundbeck.

Referências
  1. Carpiniello B et al. European Psychiatry 2020;63(1):1–28.
  2. Bortolotti L et al. J Med Ethics 2011;37:673–6
  3. Howe E. Psychiatry 2008;4:59–64
  4. APA. Disponível em: https://www.psychiatry.org/psychiatrists/practice/ethics
Você está deixando Progress in Mind
Olá,
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação para o seu endereço de email. Por favor, verifique sua caixa de entrada e/ou sua caixa de spam e clique no botão Confirmo meu endereço de email para obter acesso completo ao site.
As informações neste site são exclusivamente destinadas a profissionais de saúde.