Como médicos, amigos e familiares podem apoiar melhor os pacientes com transtorno bipolar?

Que tipo de apoio social os pacientes com transtorno bipolar consideram mais empoderador? Percepções valiosas foram fornecidas em uma apresentação na Conferência Virtual da Sociedade Internacional de Transtornos Bipolares  ISBD 2020 (do inglês, The Internacional Society for Bipolar Disorder), feita por Michael Pollock, diretor executivo da DBSA - Aliança de Apoio aos Portadores de Depressão e Transtorno Bipolar (do inglês - Depression and Bipolar Support Alliance), que apoia sua irmã, que vive com transtorno bipolar, e Kim Harol, presidente da DBSA Revere e facilitador de grupo de longa data da DBSA, que viveu a experiência do transtorno bipolar.

O que os médicos podem fazer?

Um bom suporte pode fazer a diferença na recuperação e na qualidade de vida

Os médicos podem fornecer um suporte empoderador para pacientes com transtorno bipolar, se atentando e lembrando de detalhes importantes, como nomes de familiares e amigos, colaborando com opções de tratamento e criando um plano de crises, disse Kim Harol.

Ela também destacou a importância de estar disponível em emergências, incluir familiares nas consultas, o estabelecimento e monitoramento mútuos de limites da saúde, e questionar sobre higiene do sono, medicamentos, rotina, dieta e humor.

Vigiar o relógio, prescrever em excesso ou de menos, e não alertar ou se atentar aos efeitos adversos, não ajudam, acrescentou ela.

O que amigos e familiares podem fazer?

Suporte de qualidade e incentivo são empoderadores

Tanto Michael Pollock como Kim Harol enfatizaram a importância do apoio que é encorajador e não envolve controle ou microgerenciamento por parte de amigos e familiares em:

  • estabelecer regras e auxiliar nas atividades do dia-a-dia, incluindo finanças, hábitos de sono, compras e limpeza
  • Identificar e rastrear o comportamento que sugere uma potencial necessidade de atenção médica e fornecimento de assistência para acessar cuidados de emergência em uma crise

O que os pacientes com transtorno bipolar podem fazer?

Pares especializados em suporte têm a experiência vivida

Kim Harol disse que a recuperação e o bem-estar podem ser um trabalho de tempo integral e descreveu sua própria experiência vivida no tratamento do transtorno bipolar, da seguinte forma:

  • mantendo a consciência sobre a saúde mental e o bem-estar atuais, higiene do sono, exercícios, rotina diária, dieta e atividades sociais, incluindo amizades com pares
  • praticando mindfulness, meditação, ioga e autocuidado
  • documentando gráficos de humor e mudanças de medicação

Quem pode fornecer suporte em uma crise?

Com grupos de apoio, os pacientes com transtorno bipolar se sentem melhor informados e possuem melhor aceitação de sua condição de saúde mental

A DBSA1 foi fundada há 35 anos para oferecer suporte por pares, disse Michael Pollock. Ela também oferece suporte de bem-estar, e serviços e recursos de empoderamento, no momento em que as pessoas nos Estados Unidos precisam deles, onde precisam e como precisam recebê-los – online 24 horas por dia e 7 dias por semana, em grupos de apoio local, transmissões de áudio e vídeo ou materiais impressos.2

Ele destacou os resultados de uma pesquisa do impacto do grupo de apoio da DBSA em 2019, que demonstrou que os participantes se sentiram mais bem informados, tiveram melhor aceitação de sua condição de saúde mental, estavam mais confiantes sobre o tratamento e sentiram maior otimismo e controle sobre o futuro.

Our correspondent’s highlights from the symposium are meant as a fair representation of the scientific content presented. The views and opinions expressed on this page do not necessarily reflect those of Lundbeck.

Referências
  1. Depression and Bipolar Support Alliance. Disponível em: https://www.dbsalliance.org/
  2. Depression and Bipolar Support Alliance. Disponível em: https://www.dbsalliance.org/pdfs/brochures/SupportGroup_Brochure.pdf
Você está deixando Progress in Mind
Olá,
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação para o seu endereço de email. Por favor, verifique sua caixa de entrada e/ou sua caixa de spam e clique no botão Confirmo meu endereço de email para obter acesso completo ao site.
As informações neste site são exclusivamente destinadas a profissionais de saúde.