Depressão - Uma constelação de sintomas

Depressão – uma constelação de sintomas

A depressão é um transtorno mental comum que afeta um grande número de pacientes em todo o mundo e tem um impacto amplo sobre seus familiares, amigos, cuidadores e empregadores.1 É uma condição clinicamente heterogênea, com uma variedade geralmente subestimada de sintomas que abrangem os domínios emocional, físico e cognitivo.2,3 Apesar de se tornarem cada vez mais reconhecidos como um componente significativo da depressão em muitos pacientes, os sintomas cognitivos são muitas vezes pouco compreendidos na prática clínica.2,3

Embora um paciente tenha que apresentar humor deprimido ou anedonia para ser diagnosticado com depressão, ele também pode sentir vários dos seguintes sintomas em maior ou menor grau:2

O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais abrange apenas um conjunto limitado de sintomas cognitivos que podem estar presentes em pacientes com depressão. Déficits cognitivos adicionais foram relatados na depressão, incluindo:4–6

  • Dificuldade em manter a atenção
  • Má organização/planejamento
  • Declínio na nitidez mental
  • Dificuldade em aprender conceitos novos
  • Redução na velocidade de raciocínio
  • Falta de discernimento
  • Dificuldade em recordar palavras

Cognição na depressão – os fatos

Os sintomas cognitivos podem ter um impacto devastador no dia-a-dia dos pacientes e estão implicados como mediadores principais do comprometimento psicossocial e da incapacidade funcional, em particular com o desempenho no trabalho.7,8

Os déficits cognitivos na depressão são um dos principais mediadores da incapacidade funcional, notadamente o desempenho comprometido no ambiente de trabalho.5,8

Os sintomas cognitivos podem persistir após o desaparecimento de manifestações emocionais como tristeza, ansiedade e anedonia:2

  • Uma revisão de estudos sobre transtorno depressivo maior descobriu que déficits pronunciados na função executiva são vistos em cerca de 20 a 30% dos pacientes7
  • Em uma metanálise de 644 pacientes que apresentaram o primeiro episódio de depressão maior, o desempenho cognitivo foi significativamente comprometido em vários domínios, incluindo velocidade psicomotora, atenção, aprendizagem visual e memória, e função executiva.9
  • Em um estudo holandês de 267 pacientes com depressão, os sintomas cognitivos estavam presentes em 94% do tempo durante episódios depressivo maior10
  • No mesmo estudo holandês, os sintomas cognitivos persistiram por em média 44% do tempo durante períodos de remissão.10

Há também uma relação direta entre os sintomas cognitivos e o risco de recaída, com um estudo que mostra que mais de 75% dos pacientes com sintomas cognitivos residuais tiveram recaída dentro de 10 meses após a remissão.11 Isto destaca a importância de reconhecer e monitorar toda a constelação de sintomas emocional, físico e cognitivo em seus pacientes com depressão.

Referências
  1. Depression Factsheet. WHO. Available at: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs369/en/. Accessed July 2015.
  2. American Psychiatric Association. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Health Disorders. 5th Washington, DC: American Psychiatric Association; 2013.
  3. Jarema M et al. Psychiatr Pol 2014; 48(6): 1105–1116.
  4. Marazziti D et al. Eur J Pharmacol 2010; 626(1): 83–86.
  5. Hammar A, Ardal G. Front Human Neurosci 2009; 3: 26.
  6. Fehnel SE et al. CNS Spectr 2013; 25: 1–10.
  7. McIntyre RS et al. Depress Anxiety 2013; 30(6): 515–527.
  8. Lam RW et al. Can J Psychiatry 2014; 59(12): 649–654.
  9. Lee RSC et al. J Affect Disord 2012; 140: 113–124.
  10. Conradi HJ et al. Psychol Med 2011; 41(6): 1165–1174.
  11. Paykel ES et al. Dialogues Clin Neurosci 2008; 10: 431–437.
Você está deixando Progress in Mind
Olá
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação de cadastro para seu e-mail.
Antes de ter o acesso completo, por favor, acesse seu e-mail e confirme seu cadastro
As informações neste site são exclusivamente destinadas a profissionais de saúde.