Novos insights apresentados no IHC2021 sobre a representação da enxaqueca na mídia

Quão realista é a apresentação de enxaqueca na mídia? Ajuda a aumentar a conscientização e diminuir o estigma para pacientes com enxaqueca? Os resultados do estudo detalhados do IHC2021 (International Headache Congress) fornecem novas informações instigantes sobre o tópico.

Quão realistas são as imagens de bancos de imagens sobre crises de enxaqueca?

Uma pesquisa anônima baseada na web foi realizada para investigar como pacientes com enxaqueca e profissionais da área da saúde percebem as imagens de banco de imagens sobre a representação de crises de enxaqueca. Dez imagens destes bancos foram selecionadas (Adobe Stock©) referentes a crises de enxaqueca e foram apresentadas a:

A forma como a enxaqueca é retratada na mídia pode ajudar a aumentar a conscientização e reduzir o estigma

  • 367 pacientes com enxaqueca tratados no Charité Headache Center em 2020 - 87% mulheres, idade média de 45 anos, 86% descendentes do norte ou centro-europeu
  • 331 Funcionários e estudantes da mesma instituição - 74% mulheres, idade média de 32 anos, 86% descendentes de europeus do norte ou centro

Os participantes foram solicitados a fornecer uma pontuação de realismo de 0 a 100% para cada imagem com base em quanto eles achavam que cada imagem correspondia a uma crise de enxaqueca realista.

Menos de 50% dos pacientes com enxaqueca e profissionais da área da saúde acharam que as imagens dos bancos de imagens sobre enxaqueca eram realistas.

Os resultados foram detalhados e apresentados por Bianca Rafaelli e colegas no IHC2021

 

Como os pacientes com enxaqueca e os profissionais da área da saúde perceberam as imagens dos bancos de imagens sobre enxaqueca?

As pontuações médias de realismo para as imagens destes bancos foram:

  • 48% para pacientes com enxaqueca
  • 46% para profissionais da área da saúde

A análise das escalas para as diferentes categorias de imagem revelou que tanto os pacientes quanto os profissionais da área saúde consideraram que:

  • Imagens com atores masculinos eram mais realistas do que imagens com atrizes femininas (p <0,001)
  • Imagens com atores mais velhos eram mais realistas do que fotos com atores mais jovens (p <0,001)

Imagens com atores masculinos mais velhos e postura bilateral de dor foram consideradas mais realistas

O grupo de saúde (mas não o grupo de enxaqueca) também considerou que uma postura de dor bilateral era mais realista do que uma postura de dor unilateral (p <0,001). 

Os autores concluíram que, como os pacientes e profissionais de saúde não percebem as imagens padrão das crises de enxaqueca como realistas, uma melhor representação na mídia poderia ajudar a aumentar a conscientização sobre a enxaqueca e reduzir o estigma associado.

 

 

Quer receber as novidades da Progress in Mind Brazil no seu celular?

Participe do nosso canal no Telegram clicando aqui e receba os novos conteúdos assim que forem publicados!

Our correspondent’s highlights from the symposium are meant as a fair representation of the scientific content presented. The views and opinions expressed on this page do not necessarily reflect those of Lundbeck.

Referências
  1. Raffaelli B, et al. Presentation of migraine in the media – Perception of patients and healthcare workers. Poster presented at IHC 2021, 8–12 September, P054.
Você está deixando Progress in Mind
Olá,
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação para o seu endereço de email. Por favor, verifique sua caixa de entrada e/ou sua caixa de spam e clique no botão Confirmo meu endereço de email para obter acesso completo ao site.
As informações neste site são exclusivamente destinadas a profissionais de saúde.