Novas percepções sobre doenças do cérebro e comorbidades físicas

Brain

Existe uma relação entre doença do cérebro e câncer, e, em caso afirmativo, qual vem primeiro, e qual é a duração entre os dois? Pacientes com doenças do cérebro e irmãos, que não sofrem as mesmas doenças físicas, e, se não, como as suas doenças físicas diferem? Novas descobertas de pesquisa estão fornecendo respostas para essas perguntas e foram apresentadas por especialistas no WCP2021 (Congresso Mundial de Psiquiatria).

Existe uma relação entre doenças do cérebro e câncer? Em caso afirmativo, qual vem primeiro?

As necessidades de saúde física de pessoas com transtorno psiquiátrico são quase três vezes maiores do que para pessoas sem transtorno psiquiátrico

Uma análise dos registros de faturamento médico de quase 700.000 indivíduos no Canadá de 1994 a 2009 revelou uma taxa cumulativa de transtornos psiquiátricos de 53% em 16 anos, disse o professor David Cawthorpe (Canadá). E as necessidades de saúde física para esses indivíduos eram quase três vezes maiores do que para pessoas sem transtornos psiquiátricos.1

Pessoas com transtornos psiquiátricos, portanto, têm maior morbidade. Mas qual vem primeiro? O transtorno psiquiátrico ou a morbidade física? perguntou o professor Cawthorpe.

O que vem primeiro — o transtorno psiquiátrico ou a morbidade física?

Para investigar a relação temporal entre transtornos psiquiátricos e morbidade física, o professor Cawthorpe e seus colegas analisaram aproximadamente 75 milhões de registros de faturamento médico entre 1993 e 2010, utilizando as seguintes estratégias:2

  • Primeiro, usar qualquer câncer como índice diagnóstico e pivô, e mensurar todos os transtornos mentais antes e depois do câncer
  • Depois, usando qualquer transtorno mental como índice diagnóstico e pivô, e mensurando todos os cânceres antes e depois do transtorno mental

Os transtornos mentais são mais propensos a preceder o câncer

As pessoas eram mais propensas a ter transtorno mental e câncer, em comparação com qualquer um ou nenhum dos dois.2

Era mais provável que qualquer câncer seguisse qualquer transtorno mental, disse o professor Cawthorpe, com razões de chances (OR) (intervalos de confiança de 95% [CI]) da seguinte forma:

  • Para o sexo feminino, 1,96 (1,92, 2) para as com idade entre 19–49 anos, e 1,49 (1,44, 1,55) para as com idade ≥50 anos
  • Para homens, 1,53 (1,5; 1,57) para os com idade entre 19–49 anos, e 1,46 (1,41; 1,52) para os com idade ≥50 anos 2

 

Qual é a duração média de um transtorno psiquiátrico antes do desenvolvimento do câncer?

O transtorno psiquiátrico pode preceder o câncer em uma média de 5–6 anos

Foram avaliadas também a duração média de um transtorno psiquiátrico antes do desenvolvimento de câncer, e as proporções de populações masculinas e femininas afetadas em quatro grupos independentes de transtornos psiquiátricos:

  1. psicoses afetivas,
  2. transtornos esquizofrênicos,
  3. transtornos depressivos e
  4. transtorno neurótico

Os resultados revelaram proporções consistentes de homens e mulheres (entre 60 e 69%), e durações médias anteriores (entre 1893 e 2228 dias, ou seja, entre 5,2 e 6,1 anos) nos quatro grupos de transtornos psiquiátricos.

Neurose ou depressão podem preceder a colite ulcerativa em uma média de 5 anos

Nesses achados, a relação temporal e a duração de um transtorno mental antes do desenvolvimento do câncer são consistentes com a relação temporal e a duração de um transtorno mental antes do desenvolvimento da colite ulcerativa, revelada por um estudo anterior realizado pelo professor Cawthorpe e colegas.3

A neurose ou depressão precedeu a colite ulcerativa em uma média de 5 anos, mas não houve diferença para os outros transtornos psiquiátricos,3 disse o professor Cawthorpe.

 

Doenças físicas entre pacientes com transtorno bipolar e seus irmãos

Um estudo longitudinal de base populacional nacional, que mapeou doenças físicas em pacientes com transtorno bipolar e seus irmãos, foi apresentado pelo Professor Lars Vedel Kessing (Dinamarca).

O transtorno bipolar está associado a maiores taxas de qualquer transtorno que possa estar envolvida na patogênese das doenças inflamatórias

Aproximadamente 20.000 pacientes com transtorno bipolar e 14.000 irmãos não afetados (e 20 controles) foram acompanhados por 23 anos - de 1995 a 2017.4

O professor Kessing destacou que o transtorno bipolar foi associado ao aumento das taxas de:

  • Todas as categorias de doenças físicas em comparação com as taxas para indivíduos controle, exceto câncer
  • Transtornos que podem estar envolvidos na patogênese das doenças inflamatórias, incluindo doença cardíaca isquêmica, diabetes, demência, hipertensão, hipercolesterolemia e hiperlipidemia, hipotireoidismo e infecções4

O excesso de doenças físicas entre pacientes com transtorno bipolar não é genético

Em contraste, os irmãos não afetados pelo transtorno bipolar tiveram maiores taxas de certas doenças infecciosas e parasitárias, doenças do sistema nervoso, do sistema digestório e do sistema geniturinário.4 Portanto, o excesso de doenças físicas entre os pacientes com transtorno bipolar não é genético, concluiu o professor Kessing.

 

Quer receber as novidades da Progress in Mind Brazil no seu celular?

Participe do nosso canal no Telegram clicando aqui e receba os novos conteúdos assim que forem publicados!

Our correspondent’s highlights from the symposium are meant as a fair representation of the scientific content presented. The views and opinions expressed on this page do not necessarily reflect those of Lundbeck.

Referências

  1. Cawthorpe D. A novel population-based health index for mental disorder. Perm J 2013;17(2):50–4.
  2. Cawthorpe D, et al. Temporal order of cancers and mental disorders in an adult population. BJPsych Open 2018;4:95–105.
  3. Cawthorpe D, Davidson M. Temporal comorbidity of mental disorder and ulcerative colitis. Perm J 2015;19(1):52–7.
  4. Kessing LV, et al. A nation-wide population-based longitudinal study mapping physical diseases in patients with bipolar disorder and their siblings. J Affect Dis 2021;282:18–25.