O que a enxaqueca e os distúrbios intestinais têm em comum?

Náuseas, vômitos e o retardo do esvaziamento gástrico são sintomas de enxaqueca e de certos distúrbios da interação intestino-cérebro (DIIC), que também são comorbidades da enxaqueca. A enxaqueca e os DIIC podem ter uma fisiopatologia compartilhada? A professora Linda Nguyen, da Universidade de Stanford, destacou esses vínculos fisiológicos compartilhados no AAN 2021 (Encontro Anual da Associação Americana de Neurologia).

Quais são os distúrbios da interação intestino-cérebro?

Anteriormente conhecidos como distúrbios gastrointestinais (GI) funcionais, os distúrbios da interação intestino-cérebro (DIIC) são caracterizados por sintomas gastrointestinais relacionados a qualquer combinação de:

Distúrbios da interação intestino-cérebro manifestam-se em muitas síndromes diferentes

  • Distúrbios de motilidade
  • Hipersensibilidade visceral
  • Mucosa e função imunológica alteradas,
  • Microbiota intestinal alterada
  • Processamento do sistema nervoso central1

Eles afetam todas as partes do trato GI e manifestam-se em muitas síndromes diferentes.1

 

Quais são as sobreposições entre os DIIC e a enxaqueca?

Gastroparesia, dispepsia funcional e síndrome do vômito cíclico são comorbidades da enxaqueca

Três DIIC - gastroparesia, dispepsia funcional e síndrome do vômito cíclico - são comorbidades da enxaqueca,2,3 explicou a professora Nguyen, e alguns dos seus sintomas - náusea, vômito e retardo do esvaziamento gástrico - também são sintomas da enxaqueca.2

Pensa-se que as náuseas, os vômitos e o retardo do esvaziamento gástrico resultam da disfunção autonômica2 e que a enxaqueca e os DIIC podem ter uma fisiopatologia compartilhada,4 disse a professora Nguyen.

A microbiota intestinal, a serotonina, os mediadores pró-inflamatórios e o CGRP podem desempenhar um papel na fisiopatologia

Outras sobreposições fisiopatológicas entre a enxaqueca e os DIIC também foram destacadas pela professora e incluem:

  • Sinalização alterada da serotonina, o que pode desempenhar um papel no início de uma enxaqueca e disfunção GI
  • Envolvimento de mediadores pró-inflamatórios, que podem estar ligados à microbiota intestinal alterada
  • Envolvimento do peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGRP)4

 

Qual é o impacto dos sintomas GI no tratamento de pacientes com enxaqueca?

Os sintomas GI podem diminuir a eficácia das terapias orais

Ao tratar pacientes com enxaqueca, é importante levar em consideração quaisquer sintomas GI porque as náuseas, a disfunção da motilidade gástrica e os vômitos podem diminuir a eficácia dos medicamentos orais e resultar em falta de resposta à terapia, observou a professora Nguyen. Por exemplo:

  • Náuseas podem significar que o paciente evita ou atrasa a administração de um medicamento oral5
  • A estase gástrica e os vômitos podem interferir e prejudicar a absorção do medicamento5

 

Esta atualização terapêutica foi financiada pela Impel NeuroPharma.

 

Quer receber as novidades da Progress in Mind Brazil no seu celular?

Participe do nosso canal no Telegram clicando aqui e receba os novos conteúdos assim que forem publicados!

Our correspondent’s highlights from the symposium are meant as a fair representation of the scientific content presented. The views and opinions expressed on this page do not necessarily reflect those of Lundbeck.

Referências
  1. Schmulson MJ, Drossman DA. What is new in Rome IV? J Neurogastroenterol Motil 2017; 23:151–63.
  2. Aurora SK, et al. A link between gastrointestinal disorders and migraine: Insights into the gut–brain connection. Headache 2021;61:576–89.
  3. Pareek N, et al. Cyclic vomiting syndrome: what a gastroenterologist needs to know. Am J Gastroenterol 2007;102:2832–40.
  4. Arzani M, et al. Gut-brain axis and migraine headache: a comprehensive review. The J Headache Pain 2020;21:15.
  5. Rapoport AM, et al. Innovative delivery systems for migraine: the clinical utility of a transdermal patch for the acute treatment of migraine. CNS Drugs 2010;24:929–40.
Você está deixando Progress in Mind
Olá,
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação para o seu endereço de email. Por favor, verifique sua caixa de entrada e/ou sua caixa de spam e clique no botão Confirmo meu endereço de email para obter acesso completo ao site.
As informações neste site são exclusivamente destinadas a profissionais de saúde.