Reconceituando a depressão resistente ao tratamento como uma depressão de difícil tratamento

A depressão resistente ao tratamento é um conceito que precisa ser redefinido clinicamente para abranger uma abordagem mais holística que considere todas as opções de tratamento disponíveis, a fim de melhorar os resultados dos pacientes.

Há uma necessidade clínica de redefinir o conceito de depressão resistente ao tratamento (DRT), disse o professor Koen Demyttenaere, da Universidade de Leuven, Bruxelas, no EPA Virtual 2021 (Congresso Europeu de Psiquiatria).

A definição de DRT é principalmente orientada à farmacologia e vários fatores importantes não são suficientemente considerados, incluindo fatores psicossociais, que podem influenciar drasticamente o resultado, a psicoterapia e a neuromodulação.1

A depressão de difícil tratamento (DDT) é um conceito introduzido recentemente que visa mudar o modelo conceitual e o tratamento da DRT.2,3

 

Depressão de difícil tratamento - um conceito colaborativo entre paciente e médico

As metas de tratamento para depressão de difícil tratamento são muito diferentes daquelas da depressão resistente ao tratamento

O professor Hamish McAllister-Williams, da Wolfson Research Centre, Reino Unido, descreveu o modelo "reconceituado" da DDT, explicando que não existe uma definição universalmente aceita da DDT, mas ela pode ser definida como uma situação em que o médico e o paciente percebam juntos que estão começando a ter dificuldades para controlar a depressão.4

O conceito da DDT não é apenas uma mudança na terminologia, mas tem implicações em como os pacientes são tratados, disse o professor McAllister-Williams.

As metas do tratamento da DDT são muito diferentes do (único) objetivo da DRT, o que implica repetidas tentativas agudas de farmacoterapia sem considerar outros fatores, disse ele, delineando as três metas da DDT:4

  • Se esforçar para obter um controle ideal dos sintomas - remissão, se possível

  • Reduzir os riscos e o impacto da recaída

  • Otimizar a funcionalidade psicossocial

As metas de tratamento para DDT e DRT são muito diferentes

O modelo de tratamento para DDT é uma combinação de princípios e prática, abrangendo oito etapas de gerenciamento:4

  • Controle ideal dos sintomas por meio de tratamentos convencionais recomendados pelas diretrizes, mas avançando para terapias não convencionais de maneira apropriada e oportuna
  • Focar em sintomas associados a desfechos ruins, p.e. ansiedade e dor
  • Focar em sintomas associados à má funcionalidade e qualidade de vida, como dificuldades para dormir, fadiga e disfunção cognitiva
  • Triagem e manejo de comorbidades físicas e psiquiátricas, além do uso indevido de substâncias
  • Otimização do tratamento profilático
  • Incentivar técnicas de autogestão para empoderar os pacientes
  • Utilização dos serviços de saúde integrados para ajudar a fornecer uma sensação de contenção e garantir ampla consideração das opções de tratamento
  • Estabelecimento de revisões regulares do diagnóstico e tratamento do paciente

A mudança de DRT para DDT, no entanto, só é relevante se mudarmos o manejo dos pacientes, concluiu o professor McAllister-Williams.

Our correspondent’s highlights from the symposium are meant as a fair representation of the scientific content presented. The views and opinions expressed on this page do not necessarily reflect those of Lundbeck.

Referências
  1. Demyttenaere K. World Psychiatry 2019; 18:354-355
  2. Demyttenaere K and van Duppen Z. Int J Neuropsychopharmacol 2019;22:85-92
  3. Rush AJ et al. Aust N Z J Psychiatry 2019;53:109-118
  4. McAllister-Williams et al. J Affect Disord 2020;267:264-282
Você está deixando Progress in Mind
Olá,
Por favor, confirme seu e-mail
Enviamos um link de confirmação para o seu endereço de email. Por favor, verifique sua caixa de entrada e/ou sua caixa de spam e clique no botão Confirmo meu endereço de email para obter acesso completo ao site.
As informações neste site são exclusivamente destinadas a profissionais de saúde.